O RN vai passar a fazer testes de DNA a partir de um convênio firmado entre o TJRN e ITEP-RN. O Poder Judiciário destinou R$ 1.060.802,20 ao Instituto Técnico-Científico de Polícia para a compra do equipamento e dos insumos, por meio do convênio que, durante um ano fará testes de reconhecimento de paternidade, de cadáveres e de criminosos, em casos de violência sexual. Até então, estes exames eram feitos na Bahia, porque o Rio Grande do Norte não dispunha deste equipamento. "Serão feitos quase 2 mil testes, o que dará autonomia ao estado e rapidez aos processos judiciais, já que os exames solicitados pelos juízes, sairão com mais celeridade. Com isso, ganha o cidadão", diz o presidente do TJRN, desembargador Expedito Ferreira.